Você está aqui Mundo Europa  

Papa na Macedónia visita memorial de Madre Teresa

Terça, 07 Maio 2019  vanda de carvalho

No único dia de compromissos na Macedónia do Norte, Francisco visitou as raízes de Madre Teresa de Calcutá, filha de Skopje, ao visitar a casa – transformada em Memorial – onde a religiosa foi baptizada um dia depois do seu nascimento. Na ocasião, o Papa fez uma oração especial pedindo a intercessão da santa para "sermos sinal de amor e esperança no nosso tempo, que vê tantos indigentes, abandonados marginalizados e migrantes. Faça com que o nosso amor não seja só palavras, mas seja eficaz e verdadeiro".

A visita do Papa ao Memorial dedicado à Madre Teresa de Calcutá foi repleta de significados para o Pontífice, que a canonizou em 2016, e para todos que ainda hoje se dedicam aos pobres – como fez durante toda a vida a Missionária da Caridade.

Na manhã desta terça-feira (7), Francisco foi recebido no museu pelas Irmãs da Congregação e depois, na capela, encontrou os líderes das comunidades religiosas do país e dois primos de Madre Teresa. De fato, a casa é uma construção moderna que fica onde se encontrava a Igreja do Sagrado Coração de Jesus – destruída pelo terramoto de 1963 –, lugar onde a missionária foi baptizada um dia depois do seu nascimento em Skopje, no ano de 1910.

Na capela do museu, que também abriga fotos, objectos que pertenceram a Madre Teresa (1910-1997) e uma sala multimídia, o Papa Francisco primeiro fez um momento de oração em silêncio diante das relíquias da santa e depois rezou com os presentes uma oração em homenagem à Madre Teresa. O Pontífice começou agradecendo a Deus, “pelo dom da vida e do carisma de Santa Madre Teresa”, que deu o testemunho do amor do Pai “entre os mais pobres da Índia e do mundo”.

Ao pedir a intercessão e a ajuda de Santa Madre Teresa, “voz suplicante dos pobres e de todos aqueles que têm fome e sede de justiça”, da própria casa e cidade de nascimento da missionária, o Papa lembrou em oração:

“Aqui começaste a ver e a conhecer as pessoas necessitadas, os pobres e os humildes. Aqui aprendeste com os próprios pais a querer bem aos mais necessitados e a ajudá-los. Aqui, no silêncio da igreja, ouviste o chamado de Jesus para O seguir, como religiosa, nas missões.

Daqui lhe pedimos: intercede junto a Jesus para que também nós obtenhamos a graça de estar vigilantes e atentos ao grito dos pobres, daqueles que estão privados dos seus direitos, dos doentes, dos marginalizados, dos últimos. Alcance-nos a graça de lhe ver nos olhos de quem nos olha, porque precisa de nós.”

O Papa continuou a oração pedindo a graça de recebermos “um coração que saiba reconhecer Jesus naqueles que vivem aflitos por tribulações e injustiças”. E acrescentou:

“ Alcance-nos a graça de sermos, também nós, sinal de amor e esperança no nosso tempo, que vê tantos indigentes, abandonados marginalizados e migrantes. Faça com que o nosso amor não seja só palavras, mas seja eficaz e verdadeiro. Reze por nós, para podermos prestar um testemunho credível da Igreja que tem o dever de anunciar o Evangelho aos pobres, a libertação aos prisioneiros, a alegria aos aflitos, a graça da salvação a todos. ”

Fonte: RV