Você está aqui Angola Sociedade  

Refugiados sofrem na fronteira do Luvo por falta de documentos

Quarta, 15 Fevereiro 2017  vanda de carvalho

A demora no tratamento da documentação para refugiados em Angola está a perigar a vida de muitos refugiados e requerentes de asilo na fronteira do Luvo, a 60 quilómetros da cidade de Mbanza Congo, Província do Zaire.

Os relatos são de maus tratos que culminam mesmo com abusos sexuais á menores.

O ministério do interior e a secretaria de estado para os direitos humanos ainda não se pronunciaram sobre o caso, mas, os serviços jesuítas aos refugiados confirmaram a ocorrência na manha desta terça-feira á emissora católica de Angola.

Segundo contou a cidadã de nome Yala Mart refugiada da republica democrática do Congo, vive em Angola há mais de 20 anos, mas os seus filhos ate Julho do ano passado continuavam no Congo sob cuidados de um parente, mas em consequência dos últimos confrontos neste país africano que tiveram lugar em Setembro ultimo, estes tiveram que abandonar o país, tendo como destino Angola, junto da mãe.

Escute: Repórter Zenilda Vulola – Refugiados sofrem na fronteira do Luvo por falta de documentos